Cerveja escura é tudo igual?

Elas podem ser de vários estilos diferentes, com muitos aromas e sabores.

cervejeiros_portersstouts
Cervejas pretas podem ser de vários estilos, com gostos e aromas diferentes

Você acha que cerveja preta é tudo igual? Então tire 10 minutos para ler essa matéria. Não, elas não são a mesma coisa. Pelo contrário, por trás de aparência escura há muitos estilos diferentes.

Bom, é importante já deixar claro que existem cervejas pretas dentro das duas grandes famílias da bebida: Lagers (baixa fermentação) e as Ales (alta fermentação). Isso já deixa claro que elas podem ser dos mais variados gostos, aromas, corpo e teor alcóolico. No Brasil, entre as grandes cervejarias boa parte dos rótulos escuros estão dentro das Lagers, em geral Schwarzbiers, mas também são encontradas Dunkels e Black Lagers, que são originárias da escola alemã.

Essas cervejas possuem caráter maltado em destaque, mas assim como as outras cervejas alemãs, são bastante equilibradas. A Schwarzbier é mais refrescante e leve, enquanto a Dunkel possui um pouco mais de corpo e teor alcoólico levemente mais alto. Por aqui, são muito populares as Malzbiers, cervejas mais doces e leves.

Porters e Stouts

Mundo afora, duas pretas da família Ale fazem muito sucesso: as britânicas Porters e Stouts. E se é difícil saber a diferença entre o charme e o funk, entre elas é mais complicado ainda. Esses dois estilos de cervejas têm ligação histórica tão forte que, na verdade, já foram a mesma coisa. Hoje, com diversas subdivisões em cada estilo, ambas ainda confundem público e até sommeliers experientes.

A Porter nasceu primeiro, nos anos 1700, e tem esse nome porque era feita para os trabalhadores dos portos britânicos. Sempre foram muito apreciadas pelos estivadores após as longas horas de trabalho pesado. De modo geral, elas são cervejas que vão do marrom escuro ao preto, com forte caráter de malte tostado, pouco lúpulo e cremosas. No aroma, destacam o cheiro de café.

Algumas fabricantes passaram a fazer uma versão mais forte e encorpada dessa cerveja, que chamaram de Stout Porters. O que era pra ser só um subestilo virou um tipo próprio de cerveja, também de muito sucesso. As diferenças mais fáceis de identificar na época eram que as Stouts costumavam ter características de maltes torrados, geralmente mais doces e com notas de chocolate – ou cacau – no aroma.

Mais fortes ou mais fracas?

As cervejas pretas costumam carregar o mito de que são mais fortes dos que as claras. Será? “Quando se fala que a cerveja é forte, a gente tem que perguntar no quê? Aroma, amargor, no quê? No geral, é só mito. Muitas cervejas claras têm maior teor alcóolico e são mais encorpadas do que as escuras”, garante David Figueira, cervejeiro e cofundador do Lamas Brew Shop. Algo que pode levar a essa sensação e confundir o consumidor é a torra do malte, por exemplo. “Tem Stouts leves, como as Dry Stouts, que têm baixo teor alcoólico e pouco corpo, mas com aroma de café pesado”, exemplifica.

Harmonização variada

Essas cervejas harmonizam com alimentos semelhantes, inclusive com doces, como chocolates, que vão bem com ambas. Sobremesas clássicas, como tortas de maçã, trufas de chocolate, cheesecakes, crème brulée e tiramisu, casam perfeitamente. Nos salgados, as Porters vão bem com carnes grelhadas, hambúrgueres e carne de porco, principalmente costelinhas. Alguns subestilos de Stouts acompanham bem ostras, presuntos e carnes de panela.

Fonte: G1

<?php echo do_shortcode('[whatsapp]'); ?>

Instagram
Follow by Email
Whatsapp

About Léo Romano

Beer Sommelier formado pela Doemens Akademie.

Deixe uma resposta