O Ateliê de Cerâmica recebe nova degustação de queijos artesanais mineiros e vinhos produzidos na Serra Catarinense

Devido ao grande sucesso da primeira edição, a degustação de queijos artesanais mineiros, harmonizada com rótulos da vinícola Pericó, terá uma nova edição neste sábado. A novidade fica por conta de um horário mais flexível (18h às 21h) e da inclusão de transporte para ida e volta dos participantes até a sede d´O Ateliê de Cerâmica.

O Ateliê de Cerâmica promove no próximo sábado, dia 22 de julho, mais uma edição da degustação orientada de queijos artesanais mineiros, conduzida pelo experiente jornalista gastronômico Eduardo Girão. Durante o evento, além da apresentação dos queijos escolhidos (Canastra do Onésio, Canastra do Vivaldo, Serro do Eduardo Melo, Faixa Dourada, Queijo Frei Rosário e Requeijão Moreno), e da harmonização proposta com os vinhos da Vinícola Pericó, os participantes poderão imergir na cultura gastronômica mineira a partir de uma apresentação dos diversos aspectos relativos ao universo de queijos no estado.

Serão apresentadas informações sobre o histórico, contexto atual de produção e as diferenças entre o queijo artesanal e o queijo industrial. Além de dicas sobre onde comprar a especiaria e o que levar em consideração no momento da compra, os participantes também vão conhecer um pouco mais sobre as principais regiões produtoras e a forma correta de avaliação sensorial do queijo.

Também faz parte desta programação gastronômica a proposta de experimentar o uso da cerâmica no dia a dia. Para isso, os artistas d´O Ateliê de Cerâmica, Flávia Soares, Daniel Romeiro e Luiza Soares, desenvolveram um modelo de prato ideal para exposição e degustação de queijos que, na ocasião, estarão à venda no local.

Os queijos

A degustação contempla queijos artesanais de diferentes regiões mineiras. Apesar da distinção regional, todos são feitos com leite cru, ou seja, não passam por processo de pasteurização. Essa característica garante a preservação da flora bacteriana, fator indispensável para obter complexidade de aroma, sabor e textura. Eduardo Girão, responsável pela condução da degustação e também pela escolha dos produtos, explica: “As diferentes origens, bem como as diferentes formas de produção e maturação dos queijos escolhidos formam um rico painel de sensações”.

São sensações perceptíveis ao se degustar o elegante Canastra do Onésio ou potente Serro do Eduardo Melo. Há ainda o Faixa Dourada, cuja receita lembra a do parmesão e o Canastra do Vivaldo, em que a fermentação propiônica confere-lhe um sabor levemente adocicado, até chegar ao queijo Frei Rosário, produzido na Serra do Salitre  e maturado dentro de uma estufa natural no alto da Serra da Piedade, em Caeté. Tudo isso e ainda o intrigante sabor do requeijão moreno do Norte de Minas, com notas de tosta e caramelização. “Será uma demonstração de como é possível ter uma experiência gastronômica de alto nível optando apenas por produtos regionais brasileiros, uma vez que os vinhos são todas da Serra Catarinense”, pontua Girão.

Sobre o formato do evento, Eduardo Girão complementa “Venho fazendo degustações há um ano e a que realizamos n’O Ateliê foi totalmente diferente das outras: mais informal, sem o direcionamento habitual de um evento do tipo, mas sem deixar de envolver transmissão de conhecimento para os participantes. As pessoas se aproximavam à medida que sentiam interesse em saber mais sobre os queijos e isso aconteceu o tempo inteiro, felizmente. Falo deles, da interação com os vinhos e das cerâmicas d’O Atelier, que foram criadas pensando no serviço dos queijos. O contato com essas peças, produzidas especialmente para a ocasião, também ajudou bastante a tornar a experiência ainda mais incrível.”

Os vinhos

Para compor o evento, a vinícola Pericó selecionou 4 rótulos: Equação Cabernet Sauvignon, Pericó Champenoise Brut Rosé, Cave Pericó Branco Brut e Basalto Cabernet Sauvignon/Merlot. Os participantes receberão, ao todo, duas taças. A primeira será com o espumante Cave Pericó Branco Brut.  Em seguida será vez do tinto Equação Cabernet Sauvignon. Além disso, o público ainda terá a opção de comprar taças de qualquer um dos vinhos apresentados acima. A degustação  atenderá apenas a 20 pessoas, que deverão efetuar uma inscrição  prévia no site: www.oateliedeceramica.com

Sobre o funcionamento do café instalado dentro d´O Ateliê de Cerâmica

Na ocasião, o café instalado dentro d´O Ateliê de Cerâmica estará funcionando normalmente. Desta forma, quem quiser complementar a experiência da degustação, poderá experimentar as delícias que integram o cardápio da casa como Bruschettas de Abobrinha e Gorgonzola, Burrata acompanhada de tomatinho confit e Pães Artesanais, além do tradicional Bolinho vegano de cacau com toque de laranja, assado na cerâmica e servido com uma calda quente. Entre as bebidas, o espaço ainda oferece café expresso, capuccino, mineirinho(expresso com doce de leite), suco de uva integral, chás diversos, cervejas artesanais, entre outros.

:: Conheça os queijos::

 Canastra do Onésio – Produzido em São Roque de Minas, este excelente exemplar da tradicional região queijeira do estado é feito pelo atual campeão do Concurso do Queijo Minas Artesanal da Canastra, Onésio Leite. Tem casca fina, com discreta presença de mofo e massa macia, praticamente cremosa. O sabor é elegante.

Canastra do Vivaldo – Outro queijo de São Roque de Minas, mas com uma diferença fundamental: a fermentação propiônica. Esse processo ocorre naturalmente na própria queijaria por ação de bactérias (benéficas) que desenvolvem olhaduras na massa e a tornam ligeiramente adocicada (a exemplo do queijo suíço emmental). Visualmente, é um queijo ligeiramente estufado justamente por conta dessas olhaduras.

Serro do Eduardo Melo – Esse produtor é um dos pioneiros na retomada da maturação na região do Serro, iniciada cerca de cinco anos atrás. Com 90 dias de maturação, seu queijo é potente e concentra sabor, com notas salgadas e adocicadas, além de uma deliciosa acidez – traço típico do queijo do Serro. Não por acaso, a região é, hoje, das mais vibrantes em se tratando de queijo artesanal mineiro.

Faixa Dourada (Alagoa) – Alagoa, no Sul de Minas, recebeu imigrantes italianos há cerca de 100 anos e talvez seja este o motivo de a cidade ser conhecida pela produção de parmesão. A receita deste queijo é parecida com a do italiano, embora o resultado seja bem diferente: peça pequena, maturada por até 60 dias, massa mais seca, textura bem firme e sabor marcadamente salgado e picante. Curiosidade: Osvaldo Filho, que vende o queijo, não é o produtor, mas o responsável por curar o queijo, ou seja, o afinador.

Queijo Frei Rosário (Salitre/Serra da Piedade) – Um queijo com “dupla cidadania”, pois é produzido na região de Serra do Salitre e curado na Serra da Piedade, em Caeté. No caso dessa segunda parte, o queijo passa 30 dias dentro de um cômodo de pedra, construído a 1.700 metros de altitude, do jeito que fazia seu “inventor”, o Frei Rosário Joffily, décadas atrás. O frio e a umidade favorecem a maturação lenta, permitindo o desenvolvimento de uma casca mofada e um interior cremoso.

Requeijão moreno (Engenheiro Navarro) – Trata-se de um requeijão de corte típico em algumas regiões brasileiras, incluindo o norte de Minas, de onde vem esse exemplar. Sua cor se deve à adição de manteiga previamente dourada, o que também influi decisivamente no gosto. Firme ao toque, é cremoso na boca, com aroma que lembra o de alimentos caramelizados, como doce de leite.

:: Conheça os Vinhos::

 Incluídos na degustação:

 Cave Pericó Branco Brut – Ótima acidez, boa cremosidade, muito persistente e com retro-olfato agradável e frutado.

 Equação Cabernet Sauvignon –  Frutado, elegante e persistente notas marcadas de carvalho.

Vendidos separadamente em taças ou garrafas:

Pericó Champenoise Brut Rosé – Ótima acidez, muito equilibrado, excelente cremosidade, persistente com retro-olfato agradável e frutado.

Basalto Cabernet Sauvignon Merlot – Balsâmico, ataque doce, volumoso e persistente

 :: Sobre  Vinícola Pericó – www.vinicolaperico.com.br ::

 Muito ensolarado e com noites frias, o Pericó Valley, em São Joaquim, é um dos pontos mais altos de Santa Catarina. Por isso, foi escolhido para abrigar o vinhedo da Pericó, localizado a 1.300 m.s.n.m. no paralelo 28 S. Do plantio à colheita, a equipe da Vinícola Pericó dedica-se a cada etapa, do crescimento à maturação das uvas de castas francesas, com todo o cuidado necessário para preservar a qualidade única dos frutos. As uvas são constantemente avaliadas para serem colhidas no pico máximo de cor e açúcares naturais, o que permite à Pericó obter espumantes e vinhos estruturados e sabor exclusivo.

 :: Sobre Eduardo Tristão ::

 Eduardo Tristão Girão é jornalista gastronômico graduado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). Foi repórter do jornal Estado de Minas de 2004 a 2016. Já colaborou com o jornal Estado de São Paulo e as revistas Prazeres da Mesa, Gula, Encontro e do Supermercado Verdemar, além de ter integrado o júri da lista anual The World’s 50 Best (50 Melhores Restaurantes do Mundo) da revista inglesa Restaurant entre 2010 e 2012. Fez viagens gastronômicas para Portugal, Chile e Espanha e cobriu a maioria das edições do Festival de Cultura e Gastronomia de Tiradentes, além de eventos como Mesa Tendências (São Paulo; 2008 e 2014) e Madrid Fusión (Espanha; 2013). Avaliou bares e restaurantes para o Guia Unibanco Minas Gerais (editora Bei, 2005). Atua como mediador e jurado em competições, debates e demais eventos do setor gastronômico. Desde 2016, promove degustações harmonizadas de queijos artesanais mineiros.

 :: Sobre O Ateliê de Cerâmica – www.oateliedeceramica.com ::

Fundado em 2002 pela designer de ambientes Flávia Soares, o Ateliê de Cerâmica, fica localizado no centro de Contagem. O espaço oferece objetos autorais produzidos a partir da cerâmica para as mais diversas finalidades como a decoração, o paisagismo ou utilitários. Atualmente, o designer Daniel Romeiro e a arquiteta Luiza Soares – filhos de  Flávia – desenvolvem as peças em parceira com a mãe, prezando pelo design autoral e o perfeito acabamento.  Com uma fachada super-charmosa, os visitantes encontram, ao passar pelo jardim de entrada, uma pequena loja onde os objetos são comercializados. Há desde xícaras e conjuntos para chá e café até grandes esculturas criadas com técnicas e acabamentos diversos. O espaço foi inteiramente pensado de forma a acolher e receber bem o visitante. Até o mobiliário foi desenhado dentro do próprio ateliê, garantindo que a cerâmica seja a protagonista dos ambientes. Além da loja, o ateliê ainda conta com uma sala multiuso, que pode abrigar desde almoços a exposições, além de atividades culturais e vivências. O espaço conta ainda com um café, circundado por um vasto e aconchegante jardim, reunindo  diversas espécies de plantas como folhagens,  suculentas, bromélias e uma coleção de orquídeas – uma das paixões da fundadora do ateliê.

::Serviço::

 Degustação de queijos artesanais mineiros e vinhos catarinenses n’O Ateliê de Cerâmica

Dia: 12/07 – Sábado
Horário: das 18h às 21h
Local: O Ateliê de Cerâmica – Av. Pref. Gil Diniz, 580 – Arcádia – Contagem – MG
Valores: R$90,00 (apenas a degustação) e R$115,00 (incluindo transporte de ida e volta)

Local de saída e chegada do transporte: a van sairá às 17h30 da rua Fernandes Tourinho, 143 – Savassi (Em frente ao Oop Café).

Contato: (31)3398-3733

Informações e vendas pelo site: http://oateliedeceramica.com/portfolio-item/degustacao-de-queijos-mineiros

 

Instagram
Follow by Email
Whatsapp

About Léo Romano

Beer Sommelier formado pela Doemens Akademie.

Deixe uma resposta