Cientificamente falando: por que quiabo na cerveja?

A Noctúria foi criada para levar aos cervejeiros uma experiência sensorial completamente inovadora. Essa deliciosa cerveja que homenageia nossas raízes culturais e gastronômicas ligadas à África leva quiabo em sua receita. Quiabo? Isso mesmo!

Sem interferir em sabor ou aroma, a adição dessa planta totalmente incorporada à culinária brasileira resulta em uma bebida não apenas alcoólica e encorpada, mas de alta viscosidade, o que proporciona sensações únicas a cada gole.

Se você é um cervejeiro que gosta de explicações tecno-científicas, aqui vai: a Doktor Bräu adicionou proteoglicanos e glicoproteínas à Noctúria. Oi???

Pois é…

Os dois são compostos de proteicos (vegetais, neste caso) com grande poder de emulsificação, capazes de proporcionar uma sensação gustativa diferenciada à bebida.

Assim como os hidrofílicos e as mucinas usados para emulsificar a mistura, nós utilizamos o quiabo como fonte doadora de compostos viscosos emulsificantes.

O resultado? A Doktor Bräu conseguiu aumentar a OG (densidade inicial) da cerveja sem deixar açúcares fermentescíveis. Deguste com a gente esta nova experiência!

A Noctúria possui cor negra profunda, e aroma tostado de café, biscoito e leve chocolate. Na boca, sabor aveludado e calor alcoólico presente com álcool bem inserido. Encorpada, densa, com espuma cremosa e persistente, harmoniza muito bem com fondue de carne e queijo, feijoada, queijo roquefort e doces como mousse de chocolates, tiramissu e brigadeiro.

Ideal servir a 12º. A Noctúria é simplesmente surpreendente”, descreve Nuberto Hopfgartner, sócio da Doktor Bräu, para deixar os cervejeiros com água na boca.

E ele acrescenta: “o quiabo ainda proporciona a facécia bacana de chamar nossa cerveja de Brazilian Imperial Stout, já que de Russian ele não tem nada!!!”

facebook-profile-picture

About Léo Romano

Beer Sommelier formado pela Doemens Akademie.

2 thoughts on “Cientificamente falando: por que quiabo na cerveja?

Deixe uma resposta